(BEDA) Exportando para o Peru: um guia longo e duro (parte II)

Vocês conhecem o Peru? Conhecem tudo ou só uma parte? Infelizmente eu só conheço por foto, mas espero mudar isso muito em breve. 🙂

Sei que ontem eu estava meio pra baixo, mas faltando 5 minutos pra eu sair meu contato da matriz me chamou no skype pra dar uma notícia maravilhosa: ia entrar MUITO Peru! Mas o gringo não deixou nem eu respirar e colocou tudo de uma vez. Fiquei até atordoada. Quase sessenta pro Peru, assim, do nada. A vontade que deu foi sair gritando pela fábrica que estava entrando muito Peru, pra que todo mundo já ficasse preparado. O Peru é duro! Se não houvesse uma preparação antes, muita gente podia acabar na mão.

Já virei pro meu chefe e avisei que estava entrando Peru. Ele rebateu “Lá vem você com essa conversinha de novo!”, mas eu estava falando muito sério. Um negócio grande assim exige muito cuidado. O gringo estava esperando uma posição minha mas eu avisei que só conseguiria dar uma posição mais firme pra ele no dia seguinte. Tanto Peru assim precisa coordenar com muita gente, se ficasse só na minha mão eu não daria conta.

Gente só de pensar no Peru eu já fico asjdakjshdkjahsdkj

Logo de cara já tem um Peru de 24 e eu juro pra vocês, é o maior Peru que eu já encarei desde que comecei a trabalhar com exportação. Meu principal problema com o Peru é que ele entra fácil, mas depois é aquela enrolação pra sair. Tudo bem, desde que o cliente saia satisfeito e querendo mais. E tomara que o Peru continue crescendo!

Eu só queria dizer que não há nada como o Peru entrando pra gente parar de pensar no que não deve. Acho que era por isso que eu estava triste: estava faltando Peru na minha vida. Agora estou com Peru até o talo e estou rindo à toa!

E vocês parem de pensar besteira que eu estou falando de trabalho, ok?

Banner fofo feito pela Cacá!

 

(BEDA) Exportando para o Peru: um guia longo e duro

Tudo começou ano passado quando recebemos um pedido de exportação para o Peru. Tratava-se de um cliente antigo, e já fazia algum tempo que não exportávamos para lá. Sendo nova no cargo, era natural que eu me sentisse um pouco perdida. Esse era o primeiro Peru que eu ia encarar. Minha jornada começou assim, com meu chefe me fazendo um pedido singelo:

Segundo mês no cargo, zero de intimidade e tendo que ouvir o moço falando pra eu levantar o Peru. Meu chefe ficou sem graça porque ele não falou com maldade, mas eu já estava calejada. E sendo uma moça muito eficiente, levantei o Peru rapidinho. Estavam achando o quê? Colocou na minha mão eu levanto!

Meu primeiro Peru foi um de 15…

…toneladas de produto. Mas no final das contas o cliente quebrou o Peru em dois e tivemos que mandar duas cargas separadamente. E o parto que foi pra sair esse Peru? Quase precisamos brigar para mandar o Peru, que no final das contas só terminou de sair no começo do ano.

O problema foi que depois disso não parou mais de entrar Peru. E veio de tudo que era tamanho: tinha de 15, de 18, até de 20 nós tivemos que encarar. Novamente tivemos um problema com a saída da carga, mas eu não deixei barato: fiquei em cima do Peru, fazendo pressão. E quando o Peru finalmente saiu deu uma sensação imensa de alívio, mas também de vazio.

Porque esse Peru me fez muito feliz. Não há nada a ser feito além de amar muito o Peru.

Banner fofo feito pela Cacá!